Passeio Noturno

Anda pela avenida, sozinho à noite. O ar lhe faz bem. E como lhe fazia bem! O vento é como a felicidade lhe batendo no rosto, refrescando o corpo. Por isso usa menos agasalho do que os outros. Mesmo assim, não passa frio. Está refrescado, no corpo e na cabeça.

A panturrilha, os braços e o abdômen, doloridos da academia — sempre faz muito esforço — a dor incomoda, mas, e isso e estranho, não atrapalha andar. Pelo contrário, andar parece aliviá-la.

E ele anda, com gosto. Mais do que um exercício, isso é um passeio, algo de que ele gosta muito. Andar de noite, cansado, lhe faz sentir o corpo leve, relaxado. Isso lhe excita. Mas as mulheres por quem passa pela avenida não lhe excitam, muito menos os homens. Excita-se ao ver casais passarem juntos, de mãos dadas, abraçados, ou apenas juntos conversando. Excita-se ao imaginar o carinho que há entre eles e imaginar que tenha um carinho assim para compartilhar.

No meio da avenida há um parque, um pequeno bosque. A essa hora está fechado. Ele gosta do parque, mas não se sente bem com os casais de lá. Por isso evita. Prefere andar.

As pessoas passam. O chão, os carros, as portas fechadas, os bares abertos, tudo passa. Ela anda. Não quer nada, só ver passar.

4 comentários em “Passeio Noturno”

    1. Como o passarinho que saí da gaiola, não tem pra onde nem por que ir. Só quer ir. Faz bem. Usar os pés ou as asas mesmo que sem destino. Só pelo gosto de saber que consegue.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s