Primeira Foto

Dia e noite de criança hoje. Comprei minha câmera nova, especialmente para fazer boas fotos para meu blog. D’us me ajude, eu não precise mais procurar fotos no Google e aprenda a fazer fotos que digam o que não sei escrever.

A escolha não foi muito difícil, escolhi a loja que tinha a maior variedade e os melhores preços (fácil, fácil, pois era a mesma), anotei os modelos que estavam no meu orçamento, fui no Google. Fui no Google e escolhi a que é melhor para fotos noturnas.

Fotos noturnas, é óbvio!

Manual, documentação, livros sobre fotografia, pra quê? Gosto de escrever, fotografar tem de ser fácil porque será só para ilustrar, mas bem ilustrado, o que eu escrever.

Abri o manual só para saber como pôr pra funcionar o que eu queria. “Onde fala nisso? E isto aqui, onde diz como faz?” Pendurei a engenhoca no pescoço e já saí atrás de uma foto.

Qual? Onde? Tinha que ser especial.

Queria fotografar o céu sobre o mar. Estava noite, neblina e um trânsito de fim-de-feriado para ir à praia e voltar na mesma noite.

Não teria o mar, seria só o céu então.

Parti pro interior, pra serra, não muito longe. Sei onde achar, aqui perto, uma paisagem bonita com vale e montanha, longe da cidade e das rodovias. Fui direto. A paisagem não era o que importava. No alto da montanha, eu queria ficar sozinho com o céu.

Mas o grande problema eu só percebi quando cheguei, e devia ter-me sido óbvio. Noite nublada, cadê a lua? Como eu podia debutar minhas fotos em meu blog se a atriz principal não estava disponível.

Frustrado, encostei o carro na beira da estrada, desci e fiquei olhando. As nuvens se juntavam todas na mesma direção. Devia ser onde escondiam a lua. Malditas! Ou, espera, ou era lua cheia? Nem me lembrei de olhar. Vacilão eu.

No resto do céu, ali no escuro, muitas estrelas. Pareciam flores plantadas num jardim.

A foto não teria uma solista, seria uma panorâmica de um elenco inteiro. Ajustei a câmera como vi no manual e, vai que a primeira fica tremida, bati três fotos. A bateria – que burro sou! não carreguei a bateria – só durou três fotos e nem pude conferir ali como ficaram. Corri pra casa.

Em casa, bateria carregando, cartão com as fotos no notebook. As fotos estavam umas porcarias. Não tinham nada a ver com as que eu vi nos livros e sites que ensinam a tirá-las.

Mas se prestar atenção (esta é a primeira, clique para vê-la inteira), dá pra notar algumas estrelas. Tem seu charme, me prende a atenção ficar olhando e procurando estrelas nela. Cada vez que procuro acho mais uma e a foto me parece mais bonita e misteriosa.

DSCN0003

Pensando bem uma primeira foto misteriosa e com estrelas escondidas não pode ser ruim.

Não é assim mesmo que deveríamos povoar a nossa imaginação: estrela por estrela?

A lua? A lua, quando eu tiver estrelas suficientes, tenho certeza de que ela vai aparecer para olhar.

 

2 comentários em “Primeira Foto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s