Estrada

Eu odeio dirigir. Mas sempre pego estrada.
Pego a estrada pra esquecer, esquecer de tudo o que me enche o saco e de tudo que não enche também.
Pego para não me lembrar das frustrações e dos problemas.
Dirigir, se, por um lado, não é gostoso, na estrada, fluindo, ao menos, me distrai.
A pista cercada de montanhas, como se fossem acidentes misteriosos, cobertos por carpetes de árvores, me acalma. Gosto de olhar, sem obrigação ou preocupação particular, para esse verde.
Às vezes, queria que fosse noite, o escuro desce uma cortina ainda mais calma.
Não quero ver casas, cidades, outras pessoas. Disso minha vida está já cheia. Nem mesmo outros carros. Se pudesse, interditava a rodovia só para mim.
À noite, na maior parte, só se vêem os contornos excitantes da serra, o unico som é a música que eu mesmo escolho, como se pudesse escolher não só o futuro, também o agora.

6 comentários em “Estrada

        1. Elas são sonhos. Podem os próprios sonhos sonharem? Ainda penso em como gostaria de ser uma mariposa para proteger uma linda borboleta.

          Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s